Perguntas frequentes

Quer fazer uma pergunta sobre algo que lhe angustia?

Mande um email para contato@porquesera.com ou utilize o formulário de contato.

1 – Como escolher um Psicoterapeuta?

Esta é uma escolha muito pessoal e não existem regras pré-estabelecidas. O importante é que você sinta-se acolhido e a vontade com o profissional. A melhor forma de descobrir isso é marcar uma sessão, avaliar como se sente na situação e verificar se o profissional passa confiança na forma como atua.

2 – Quanto tempo dura um tratamento psicoterápico?

Isto varia dependendo de vários fatores como, por exemplo: da demanda; do nível de comprometimento com a terapia; da disposição para a mudança; do demanda; e do próprio problema que o cliente está passando. O importante é saber que quem define o tempo de duração da terapia é o cliente quando este percebe que está pronto para enfrentar sozinho as dificuldades da vida.

3 – Terapia é coisa para louco?

Durante muito tempo pessoas que frequentavam consultórios psicológicos eram vistas como loucas. Penso justamente o contrário: louco é aquele que não conseguiu procurar ajuda para a sua loucura. Procurar ajuda é um ato de coragem de alguém disposto a enfrentar seus medos e aprender a lidar com suas dificuldades.

4 – O terapeuta irá me dar conselhos, dizer o que é certo ou errado?

Só quem pode dizer o que é certo ou errado para você é você mesmo. O terapeuta irá ajudá-lo a enxergar a situação, resgatar e construir valores para que você saiba distinguir o que é certo ou errado, bom ou ruim para a sua vida.

5 – Fazer terapia significa que sou incapaz de resolver os meus próprios problemas?

É um grande equívoco pensar que fazendo terapia não é você quem vai resolver seus problemas. O terapeuta irá ajudá-lo a refletir sobre eles, e assim, você alcançará soluções mais eficazes para resolvê-los.

6 – Psicólogo faz terapia?

Sim. Se nunca fez, deveria. Não é uma exigência para o curso de psicologia em geral, mas é uma recomendação. Psicólogo clínico que não faz terapia é como um cozinheiro que não prova a sua comida, um dentista banguela ou um cardiologista fumante. Você poderia dizer: “Mas ele estuda isso, se for bom não precisaria…”. Quando as suas próprias defesas, angústias, medos e emoções estão atuando em cima de você, torna-se necessário uma outra pessoa que tenha a oportunidade de te observar de fora e te mostrar aquilo que as suas defesas, angústias, medos e emoções estão te impedindo de ver.

7 – Qual a diferença entre Psiquiatra, Psicólogo e Psicanalista?

O Psiquiatra é formado em Medicina com especialização em Psiquiatria, enquanto que o Psicólogo é formado em Psicologia. A principal diferença é forma de lidar com o sofrimento humano. Infelizmente, a psiquiatria no Brasil é muito influenciada pelo pensamento pragmático norte-americano. E a saúde mental nos EUA é péssima. Eles ainda estão em busca de remédios mágicos ou terapias mágicas que sejam rápidas, rentáveis e eficazes(Veja mais aqui). A verdade é que remédio não cura, ele abafa ou suprime alguns sintomas sem trabalhar a origem psicológica deles. Por este motivo, o remédio é útil em determinados casos, mas não deve ser utilizado sozinho. Deve ser aliado a uma terapia. Felizmente, há diversos bons psiquiatras que reconhecem esta limitação do remédio e conseguem trabalhar em conjunto com outros profissionais. Recomendo procurar boas indicações antes de ir em qualquer psiquiatra.

O psicólogo clínico trabalha com o uso de técnicas e testes psicológicos exclusivos e com a psicoterapia. Esta vai variar de acordo com a abordagem do profissional. A abordagem comportamental e cognitiva possui uma forma de pensamento parecida com a psiquiatria. Já outras abordagens como a psicanálise, que possui origem européia, procura trabalhar com o sofrimento humano de uma forma mais  profunda e duradoura. Ela permite uma forma de pensar para além do conteúdo manifesto. Trabalhando não só com os sintomas, mas suas origens, sentidos e consequências.

A psicanálise é, antes de mais nada, uma forma de pensar. Por isso, podemos encontrar um Psicanalista que não fez o curso de psicologia, mas sim uma formação exclusiva em psicanálise. E também encontramos psicólogos que estudaram outras abordagens e formas de pensar e optaram por utilizar a psicanálise como base fundamental para suas práticas. O que é o meu caso.

1 Comment

  1. Leonardo Feital disse:

    Olá, estou acompanhando os artigos e textos publicados e gostaria de parabenizar pelo conteúdo. Além disso, tenho uma duvida: estou cursando a faculdade de Direito, mas tenho uma grande afinidade e vocação por temas da psicologia e psicanálise… Pelo que soube, não se precisa ter cursado a faculdade de Psicologia para ser um psicanalista… gostaria de saber se uma pessoa com formação em Direito e pode se tornar um psicanalista e se mesmo podendo se formar, a formação seria prejudicada pelo fato de não ter o curso de psicologia? Se possível também, gostaria que indicasse bons livros de introdução a psicologia. Desde já te agradeço e parabéns pelo conteúdo, abraço!

Deixe uma resposta para Leonardo Feital Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>